Chapiuski

Coquetel de Bloody Mary: aprenda a receita para o próximo happy hour

Famoso e exótico, mas tão amado quanto odiado. Essa é a melhor definição que podemos dar ao drink Bloody Mary, apesar de considerado um clássico de muito sucesso nos happy hours pelo Brasil e mundo afora.

Feito a partir da mistura de vodka, suco de tomate, tabasco, molho inglês e pimenta, o coquetel não costuma agradar todos os paladares facilmente, apenas os mais chegados no gosto exótico de bebidas mais salgadas e apimentadas.

O nome do drink em português significa “Maria, a sangrenta” ou “Maria, a sanguinária”, em homenagem à rainha da Inglaterra Maria I, sucessora do trono de Henrique VIII, em seu reinado no século XVI.

A monarca foi responsável por matar queimados 280 dissidentes religiosos contrários ao Catolicismo Romano, religião oficial na época. Depois desse episódio, a rainha ficou conhecida como “Maria, a sanguinária”, apelido que deu nome à bebida que conhecemos hoje como Bloody Mary.

Quer aprender como fazer coquetel de Bloody Mary na sua casa para receber os amigos no próximo happy hour? Então, anote a receita:

Ingredientes:

  • 2 colheres (chá) de suco de limão;
  • 500 ml de suco de tomates;
  • 2 colheres (café) de molho inglês;
  • 8 gotas de tabasco (molho de pimenta);
  • 2 doses de vodca;
  • Pimenta-do-reino (a gosto);
  • Cubos de gelo;
  • Talo de salsão (decorar);
  • Sal a gosto.

Como fazer:

O primeiro passo para fazer o seu coquetel de Bloody Mary é colocar em um copo específico para long drink, como o old fashioned, a vodka, o suco de limão, o molho inglês, a pimenta-do-reino, o sal e o tabasco. Misture bem.

Em seguida, adicione o suco de tomate gelado e misture bem novamente. Por último, coloque os cubos de gelo e decore o copo com um talo de salsão. Está pronto o seu drink! Pode servir à vontade, de preferência, ainda bem gelado!

História

Com esse nome, é claro que o coquetel de Bloody Mary não poderia ter uma história mais interessante. Conta-se que o drink surgiu em meados de 1920, na França, a partir das mãos do seu criador Fernand Petiot, barman do simpático estabelecimento parisiense Harry’s New York Bar.

Segundo a lenda, o barman francês teria inventado o coquetel atendendo a pedidos de clientes americanos, que procuravam uma bebida alcoólica com uma aparência e teor alcoólico mascarados para enganar as autoridades na fiscalização da Lei Seca em vigência na época – que era bem diferente da nossa, por sinal.

Então, Petiot decidiu misturar suco de tomate, molho inglês e pimenta com vodka, com o intuito de fazer o drink ficar mais parecido com uma sopa, além de disfarçar um pouco o cheiro forte de álcool, por conta dos ingredientes com cheio e sabor mais fortes. E caiu como uma luva!

A partir daí, o “Bucket of Blood” (ou “Balde de Sangue”), como ficou conhecido na época, ganhou fama por todos os lugares. Foi somente em 1934, nos Estados Unidos, em um hotel chamado St. Regis Sheraton, localizado em Chicago, que o coquetel foi rebatizado com o nome Bloody Mary, em homenagem à rainha Maria I, a sanguinária, como o conhecemos até os dias de hoje.

Deixe um comentário!

Bebidas mais caras do mundo