Chapiuski

Whisky e energético faz mal?

Cada vez mais comum em bares e baladas, a mistura de whisky e energético é especialmente tomada por jovens. Além de ser uma harmonia que agrada muitos paladares, o efeito energético da bebida não alcoólica equilibra e efeito inevitavelmente depressivo do metabolismo que o álcool causa.

Isso não significa, no entanto, evitar todos os seus sintomas – apenas reunir novos efeitos ao corpo. Este é um erro comum, geralmente associado à dúvida se beber whisky e energético faz mal.

Para muitas pessoas, a ideia de misturar energético a bebidas destiladas permite beber mais e por mais tempo. O sono é reduzido, e parece haver mais energia no corpo. Por outro lado, diversos médicos já alertam a respeito dos riscos da mistura.

Entenda como funciona a questão, e descubra se beber whisky e energético faz mal:

Faz mal ou não?

A resposta mais correta é: depende. Um copo pequeno da mistura obviamente não via fazer mal. O problema começa à medida que a quantidade aumenta. Há quantidades seguras de se consumir álcool e, também, bebidas energéticas, mas seu exagero pode gerar problemas.

Quando os dois itens são consumidos simultaneamente e em grande quantidade, os efeitos são potencialmente arriscado. Os principais riscos relacionados a essa “dupla” são:

Favorece beber em maior quantidade

Muitas pessoas não gostam de energético puro, ou de uísque puro. Quando misturados, no entanto, a combinação parece encaixar perfeitamente bem. Em geral, uma mistura bem dosada não parece ser forte demais nem em álcool nem em energético, e o resultado é que as pessoas bebem muito e de forma muito mais rápida do que beberiam destilados se não estivessem misturados.

Isso faz com que todos os efeitos colaterais de bebidas alcoólica e de energéticos sejam potencializados em um curto período de tempo. Por isso, é especialmente importante manter um controle das quantidades consumidas de whisky e energético.

Riscos de problemas cardíacos

Estima-se que poucas latas de energético durante um dia não sejam um problema significativo para a saúde, até mesmo para quem tem alguma predisposição a complicações coronárias. O caso muda de situação à medida que a quantidade de bebida consumida aumenta.

Em outras palavras, a propensão a beber mais indicada no item anterior aumenta os riscos de consumo de uma quantidade suficiente para gerar problemas cardíacos – em especial, alterações no ritmo dos batimentos, o que é muito arriscado.

Aumento do risco de desidratação

O excesso de consumo de cafeína e álcool geram a mais um problema: os riscos de desidratação. Este é um problema gerado por todo consumo de bebida alcoólica, mas a combinação de whisky e energético reúne dois dos elementos que aumentam a frequência de produção de urina.

Por isso, é sempre importante acompanhar a mistura com goles de água frequentes. Isso garantirá que você diminua os riscos de desidratação, além de reduzir as chances de que você sofra de uma ressaca muito forte no dia seguinte.

O risco não está na mistura, mas no excesso

Segundo diversos estudos realizados em diferentes países, o consumo moderado de energético não é intrinsecamente perigoso. O mesmo pode ser dito a respeito do álcool, e até mesmo da mistura entre as duas bebidas.

O problema de beber whisky e energético está não na bebida, mas na propensão a exageros que a mistura permite. Riscos cardíacos, de excesso de cafeína e todos os outros problemas apontados surgem a partir de uma certa quantidade consumida, quando começa a agir de forma muito forte sobre o corpo. É exatamente deste tipo de situação que você deve tentar se afastar.

Algo a ser levado em consideração é que a mistura “disfarça” alguns efeitos, por terem ações contrários sobre o corpo: uma bebida é estimulante, e a outra é depressiva. Por isso, quando você efetivamente sentir estar “mal” em função da mistura, pode ser tarde demais. Tenha cautela redobrada ao consumir esta dupla.

Deixe um comentário!

Bebidas mais caras do mundo